quarta-feira, 30 de março de 2016

CANDIDATURAS | de 2 a 29 de Maio de 2016 | Prémio BPI Solidário 2016

A quem se destina
A todas as instituições privadas sem fins lucrativos, com sede em Portugal, cujos projectos visem melhorar as condições de vida de pessoas que se encontrem em situação de pobreza e de exclusão social.
Cada entidade promotora apenas poderá candidatar-se a um dos Prémios BPI ( Prémio BPI Solidário, Prémio BPI Seniores ou Prémio BPI Capacitar).
Prémio
O valor total do donativo atribuído ao Prémio BPI Solidário é de € 500.000, a distribuir por prémios até €100.000, podendo existir um prémio até € 200.000.
Os vencedores serão anunciados no dia 7 de Novembro de 2016 (data sujeita a confirmação).
Critérios de avaliação
Um júri independente, nomeado pelo BPI, avaliará as candidaturas e premiará os projectos, de acordo com os seguintes critérios:
Qualidade Técnica da Candidatura - valorizada tendo em linha de conta a relevância, fundamentação e programação dos seus objectivos, a sua abrangência em termos de população alvo e o carácter inovador da sua abordagem;
Sustentabilidade da Candidatura - valorizada com base na experiência e solidez da instituição candidata, bem como a adequabilidade e a exequibilidade do projecto em termos da sua aplicação de recursos humanos, materiais e financeiros.
Para mais informações e para proceder à candidatura, clicar no link: http://www.bancobpi.pt/responsabilidade-social/premio-bpi-solidario
Fonte: BPI

CANDIDATURA | de 1 de Abril a 1 de Maio de 2016 | Prémio BPI Seniores 2016

A quem se destina
A todas as instituições privadas sem fins lucrativos, com sede em Portugal, cujos projectos envolvam a integração social e a promoção da qualidade de vida dos mais velhos.
Cada entidade promotora apenas se poderá candidatar a um dos Prémios BPI (Prémio BPI Seniores, Prémio BPI Capacitar ou Prémio BPI Solidário).
Prémio
O valor total do donativo atribuído pelo Prémio BPI Seniores é de € 500.000, com um 1º prémio cujo montante poderá ir até € 200.000 e menções honrosas até € 50.000 cada. Os vencedores serão anunciados no dia 3 de Outubro de 2016 (data sujeita a confirmação).

Critérios de avaliação
Um júri independente, nomeado pelo BPI, avaliará as candidaturas e premiará os projectos, de acordo com os seguintes critérios:

Qualidade Técnica da Candidatura - valorizada tendo em linha de conta a relevância, fundamentação e programação dos seus objectivos, a sua abrangência em termos de população alvo e o carácter inovador da sua abordagem;
Sustentabilidade da Candidatura - valorizada com base na experiência e solidez da instituição candidata, bem como a adequabilidade e a exequibilidade do projecto em termos da sua aplicação de recursos humanos, materiais e financeiros.

Para mais informações e para proceder à candidatura, clicar no link: http://www.bancobpi.pt/responsabilidade-social/premio-bpi-seniores
Fonte: BPI

CANDIDATURAS | de 1 a 31 de julho de 2016 | Prémio BPI Capacitar 2016

A quem se destina
A todas as instituições privadas sem fins lucrativos, com sede em Portugal, cujos projectos visem a integração social e promovam a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência ou incapacidade permanente.
Cada entidade promotora apenas se poderá candidatar a um dos Prémios BPI (Prémio BPI Capacitar, Prémio BPI Seniores ou Prémio BPI Solidário).
Prémio
O valor total do donativo atribuído pelo Prémio BPI Capacitar é de € 500.000, com um 1º prémio cujo montante poderá ir até € 200.000 e menções honrosas até € 50.000 cada. Os vencedores serão anunciados no dia 3 de Dezembro de 2016 (data sujeita a confirmação).

Critérios de avaliação
Um júri independente, nomeado pelo BPI, avaliará as candidaturas e premiará os projectos, de acordo com os seguintes critérios:

Qualidade Técnica da Candidatura - valorizada tendo em linha de conta a relevância, fundamentação e programação dos seus objectivos, a sua abrangência em termos de população alvo e o carácter inovador da sua abordagem;
Sustentabilidade da Candidatura - valorizada com base na experiência e solidez da instituição candidata, bem como a adequabilidade e a exequibilidade do projecto em termos da sua aplicação de recursos humanos, materiais e financeiros.

Para mais informações e para proceder à candidatura, clicar no link: http://www.bancobpi.pt/responsabilidade-social/premio-bpi-capacitar
Fonte: BPI

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Comemoração do dia Europeu da Vítima de Crime



“Ser Vítima” com tertúlia no auditório do Hotel Parque Serra da Lousã

O dia Europeu da Vítima de Crime vai ser comemorado com uma tertúlia sobre o “Ser Vítima”, a realizar dia 22 de fevereiro, pelas 16h00, no auditório do Hotel Parque Serra da Lousã.

Os oradores desta tertúlia será o Dr.º José Pedro Machado, Psicólogo Consultor, elemento da Ordem dos Psicólogos Portugueses; Dr.ª Cristina Vieira, Professora Auxiliar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra,  Investigadora do GRUPOEDE – CEIS20.  É membro da direção da Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres (APEM) e representante da mesma no Conselho Consultivo da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG). É uma das autoras da equipa dos Guiões de Educação Género e Cidadania, publicados pela CIG e validados pelo Ministério da Educação e Ciência. E o Dr.º João Amada da Silva, Prof. Associado com Agregação da Universidade de Coimbra, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação e Coordenador Cientifico do Curso Violência e Gestão de Conflitos na Escola.

Este dia foi criado para recordar e assinalar os direitos de todas as pessoas que foram e que são vítimas de crime. A sua origem deve-se à ação do fórum europeu (Victim Support Europe), que agrega serviços de apoio às vítimas nacionais de duas dezenas de países da Europa.
O Dia Europeu da Vítima pretende sensibilizar todas as pessoas para as diferentes vítimas dos variados tipos de violência e ao mesmo tempo promover os meios de apoio e prevenção.

Fonte: ADFP

Candidaturas para a Ação Qualidade de Vida 2016

O período de candidaturas para a Ação Qualidade de Vida 2016 decorre até dia 31 de março.

Muitas pessoas com deficiência motora não possuem os recursos financeiros necessários que lhes permitam ter uma vida com qualidade. Estas pessoas têm projetos de vida, objetivos e ambições que querem alcançar, mas vêem-se limitadas pela falta de meios.
A Associação Salvador recebe anualmente inúmeros pedidos de ajuda de pessoas com deficiência motora, os quais obviamente não pode apoiar aleatoriamente sem a definição de critérios e requisitos. A Ação Qualidade de Vida é um processo de candidatura anual, criado pela Associação Salvador, em 2008, para atribuir apoios diretos e pontuais a pessoas com deficiência motora e comprovada falta de recursos financeiros.
Para ser possível dar uma resposta mais justa à variedade de pedidos recebidos, existem quatro categorias com objetivos distintos, sendo que o candidato apenas se pode candidatar a uma categoria:
  • Desporto - visa possibilitar a prática desportiva para uma vida mais ativa. 
    Exemplos de apoio: handbikes, equipamento desportivo, inscrições em provas, mensalidades de modalidade, entre outros.
  • Formação e Emprego - aumentar competências e conhecimento para uma melhor integração e desempenho profissional. 
    Exemplos de apoio: hardware ou software específico, cursos de formação, comparticipação de deslocações, entre outros. O candidato deve ter idade superior a 16 anos.
  • Criação do próprio negócio - estimular o empreendedorismo para uma maior autonomia. 
    Exemplos de apoios: investimento inicial, apoio à definição de modelo de negócios, mentoria para arranque e acompanhamento do projeto, entre outros. O candidato deve ter idade superior a 18 anos.
  • Obras em casa - eliminar barreiras para uma vida com dignidade. 
    Exemplo de apoios: adaptação de casas de banho, cozinhas, rampas de acesso, entre outros.
A Associação Salvador apenas aceitará candidaturas submetidas pelos formulários online. Pode preparar as suas respostas no formulário em papel, mas depois deve passá-las para os formulários online. Descarregue aqui os formulários para imprimir: DesportoFormaçãoCriação do Próprio NegócioObras em Casa.
A Ação Qualidade de Vida destina-se a apoiar preferencialmente casos que não encontraram resposta dentro dos programas de apoio promovidos pela Segurança Social, Instituto de Emprego e Formação Profissional, Ministério da Saúde ou outros.
Na edição de 2016, a Associação Salvador irá financiar até 90% do custo efetivo do apoio solicitado, até um limite de 9.000 euros, sendo que o candidato deverá comparticipar sempre o restante valor. 

Consulte o regulamento AQUI 

Fonte: Associação Salvador

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. 2016

O prazo para apresentação de candidaturas ao Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. 2016, decorre de 31 de Dezembro de 2015 a 29 de Janeiro de 2016. Para efeitos da candidatura, deve ser consultado o Regulamento  que está também disponível em texto com esclarecimentos  em que disponibilizamos informação adicional acerca do regulamento. 
Deve igualmente ser consultada a deliberação nº 9/2015 do Conselho Diretivo  que define as áreas prioritárias e os limites de financiamento para 2016.

A candidatura ao Programa de Financiamento é realizada exclusivamente online, através da plataforma web e implica:
  1. Aceder ao link www.seg-social.pt/ong utilizando preferencialmente o Internet Explorer
  2. Entrar na plataforma web colocando o NISS e password da Segurança Social Direta
  3. Preencher a Caracterização da Instituição Candidata e inserir os projetos em Apresentação dos projetos seguindo as instruções de preenchimento.


Esclarecimento relativo ao artigo 13º
Relativamente à alínea d), do nº 1, do artigo 13º do Regulamento do Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. 2016, o Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. esclarece que a exigência de realização de 3 consultas escritas deve ser efetuada, para todas e quaisquer aquisições de bens e serviços, excecionando as despesas ao abrigo dos nºs. 2 e 3 do mesmo artigo.

Esclarecimento relativo a projetos não financiados
Não são elegíveis para financiamento os seguintes projetos:
a) Projetos com produção de newsletter, e-news, revistas ou jornais; 
b) Congressos, Seminários, Ações de Formação, ou outros eventos realizados fora do território nacional, 
c) Projetos que incluam a prática desportiva associativa ou federada (v.g. participação em campeonatos) ou a produção de espetáculos com receitas.

Esclarecimento relativo a limites de financiamento por entidade
De acordo com a Deliberação nº 11 do Conselho Diretivo, os limites máximos de financiamento por entidade no ano de 2016 são os constantes do nº 3 da Deliberação nº 9/2015 do Conselho Diretivo do INR, I.P. independentemente de apresentarem 1, 2 ou 3 projetos.

Esclarecimento relativo às despesas com recursos humanos
Para efeitos do preenchimento dos quadros de despesas com pessoal afeto ao projeto (quadro 6.1.da candidatura), informa-se que o valor considerado como despesa é o valor bruto inscrito no recibo de vencimento. Não são elegíveis os encargos patronais com o pessoal afeto aos projetos, tais como: TSU, IRS, FCT, Coimas, Seguros, etc. Mais se informa que em sede de avaliação do relatório final, só serão aceites despesas de pessoal que tenha sido identificado como fazendo parte do projeto no formulário de candidatura.

Alerta-se ainda para o nº 5 do artigo 1º do regulamento que refere que o Programa Nacional de Financiamento a Projetos pelo INR, I. P., não abrange as despesas de funcionamento das ONGPD que forem identificadas no anexo 1 do protocolo de cooperação de apoio financeiro ao funcionamento, previsto no Decreto-Lei nº 106/2013 de 30 de julho.
 Consulte toda a documentação, relativa à formalização do processo de candidatura e as instruções de preenchimento, disponíveis abaixo.
Fonte: INR

Estudo "Empregabilidade na Economia Social: o papel das políticas ativas de emprego"

Cadernos 21 - Empregabilidade na Economia Social: o papel das políticas ativas de emprego


De: PAIVA, Júlio; PINTO, Liliana; MONTEIRO, Alcides; AUGUSTO, Nuno, 
Empregabilidade na Economia Social: o papel das políticas ativas de emprego, EAPN Portugal, Porto, 2015. 

A relevância do setor social é hoje amplamente reconhecida quer por investigadores internacionais, que se têm dedicado ao estudo desta temática, quer pelas autoridades públicas, legislativas e institucionais, ainda mais, num contexto de profundas mudanças económicas e sociais. 
Este sector, que pela sua natureza tende a procurar resposta para as necessidades reais da sociedade civil, tem, no contexto referido, vindo a ganhar relevância em domínios plurais, entre eles, no domínio da inserção social e profissional de públicos vulneráveis, enquadrado num caminho de combate ao desemprego, de desenvolvimento local e de luta contra a exclusão social. 
Por outro lado, as designadas políticas ativas de emprego têm vindo a ganhar um papel crescente no quadro da promoção do crescimento e do emprego, assumindo cada vez maior importância enquanto instrumentos que procuram atenuar as disfunções no mercado de trabalho e promover um encontro mais eficiente entre a oferta e a procura no mercado laboral. 
De resto, sabemos o quão importante tem sido a sua intervenção no domínio dos apoios à integração económica e social de grupos desfavorecidos, quer por via da aquisição de competências pessoais, relacionais e socioprofissionais, visando melhorar a sua empregabilidade, quer pela criação do próprio emprego. 
É neste contexto que se insere a elaboração do presente estudo. Da autoria da EAPN Portugal com a consultoria do Departamento de Sociologia da Universidade da Beira Interior, o mesmo decorre de um desafio lançado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, parceiro institucional com o qual a EAPN mantém um acordo de cooperação há mais de dez anos. 


Fonte: EAPN